6 de jan de 2010

Pachamama

Pachamama (resenha em word) é um filme sobre o deslocamento, o ato do deslocamento possibilita se pensar, se ver como pessoa, como artista, como país. Nesse sentido, também é um filme sobre o Brasil através das realidades do Peru e da Bolívia.” Esta frase, de Erick Rocha (entrevista com o cineasta em word), filho do grande cineasta Glauber Rocha e diretor (câmera e montagem) do filme ‘Pachamama’, define bem o espírito da próxima aventura do Bangalô de Flores.

Nós, Elder Gomes e Lívia Alcântara e , começamos hoje uma viagem real de três semanas pelas terras bolivianas e peruananas. E o que esta viagem tem a ver com o Bangalô de Flores? Assim como Che Guevara compartilhava com seu amigo Alberto Granada, na viagem que fez da Argentina até a Venezuela, a inquietude e o espírito sonhador, vamos expressar, em palavras, para vocês, nossos sentimentos, anseios e vivências na Bolívia e no Peru.

Vamos trazer para os leitores a situação histórica (leia a entrevista com o vice presitente boliviano Álvaro García Linera) singular encontrada na Bolívia, em que depois de séculos de dominação, os indígenas estão buscando sua autonomia na figura do atual presidente Evo Moraléz, juntamente com os movimentos populares que ganham gradativamente mais força em nosso subcontinente. Já no Peru, o encontro é com nossos ancestrais incas, que viram sua civilização milenar desmoronar com a chegada dos espanhóis a 500 anos atrás, marcando o inicio de nossa histórico de exploração.

Temos um roteiro inicial e curiosidades a saciar, mas só o caminhar vai nos dizer realmente para onde vamos e o que vamos encontrar. Na mala, levamos pouco dinheiro, recomendações quanto aos males da altitude, alguns biscoitos e muitos sonhos. Sairemos hoje de São José dos Campos, SP, vamos de ônibus até a fronteira Puerto Quirraro – Puerto Suares (Brasil – Bolívia). O destino final é Machu Pichu. A algumas horas de pegar o ônibus, o frio na  barriga é a única sensação que sentimos.

Roteiro planejado:
São José dos Campos – Puerto Suares
Puerto Suares - Santa Cruz de la Sierra  
Santa Cruz de la Sierra
Santa Cruz de la Sierra - Cochabamba
Cochabamba - La Paz
La Paz
La Paz - Copacabana
Copacabana (isla del sol/luna)
Copacabana – Puno – Cuzco
Cuzco
Cuzco – Machu Pichu

Retorno (?): possibilidade de retornar por Potosí ou ir até Ayacucho e Lima

Dica do Bangalô: Torrent para o filme "Pachamama", de Erick Rocha aqui! Áudio em potuguês BR.



Elder Barbosa e Lívia Alcântara

7 comentários until now.

Saulo Rios + 6 de janeiro de 2010 12:20 (#) :

Boa sorte Galera!!!

Fernando Aquino + 6 de janeiro de 2010 14:41 (#) :

IHUUUUUUUUUU!!!!!!!!!!!!!!!

Muita CORAGEM no início desta grande caminhada!
Tô muito feliz por vocês, torço daqui e mando energias positivas!!
Se me dão licença pego uma carona nesta mochila também, neste galope soberano que é botar o pé na estrada, nesta nossa maravilhosa experiência, única e excelentíssima condição: VIVER!!!

Para uma sutil reflexão ao longo desta viagem, Elder e Lívia, mando de coração um poema peruano.

Fernando Aquino



EFÍMERA SUCUMBE LA MAÑANA

( y com ella el director)



“…tírenle piedra a Geni

ella está para sufrir

ella está para aguantar

se entrega no importa a quien

¡maldita Geni!”

Canción de Chico Buarque



Los eternos temas:

amor, moral, revolución

y hasta quizá la melancolía

como temas

me lastiman de horror

me llenan de pastillas.

Las historias más terribles, digo yo,

las han hecho siempre dos,

dos sexos que naufragan

en cuartos de hora y de pasión

(y toda pasión, como en los toros,

para necesariamente por la cogidas)



Y a mí me toca despedirte

con cielo gris y polvoriento.

Y a mí me toca descubrirte:

la cabeza en la tierra

las piernas en el techo

el deseo brillando

y yo

… hurgándote!

Sí, ofreciéronme un lecho sin aviso

—dudo mi consciente en el espacio eléctrico de la luz—

…efímera sucumbió la mañana

montaña de vapor…

No debí entrar en tu respiración

cogí tu mano… cogí tu cuerpo

(siento que se diluye el director).

No debí dormir el sueño del otro despedido.

homínido brutal que angustia la razón

(escucho a las chaucha bajando alborotadas a mi esfínter).

No debí prestar oídos a tu historia menor,

Temo que repetible, un tanto lamentable

(prefiero tu nariz, que truena por la obstrucción).

No debí bailar este tango en flor de puta vieja,

el espanto al lado de tus cabellos

lo grotesco y lo blanco de tu cuello

tu miedo junto a ese monstruo verdadero

que pisa a los curiosos:

fiera desdentada, ciega con cientos de ojos,

bestia de mil rostros sin cabezas…



Fui entonces

Testigo de un día o de dos,

Testículo en mano nos juntamos a ser lo mejor,

testamentos de coca, de óvulos y de ardor,

testimonio suicida de un actor

que renuncia a mover un dedo

al más mínimo bajón…



Y así, en la vereda madura de cualquier noche,

concluirás con rostro de fastidio

la menor historia,

toda mínima posibilidad de escapatoria…

No tendrás el remedio de la respuesta,

morderás tu índice, quemarás tu historia

venderás tu alma, vivirás tan sola

y querrás odiar a todos los Marzos

que vengan a sumar

la edad de los que cumplen…

…………….. Algún día se sabrá

que amar a un ser humano

sin un amor propio y singular

no ha podido nunca.


CARLOS RIBOTY (poeta peruano)

Anônimo + 6 de janeiro de 2010 22:35 (#) :

Participei com vocês de um inesquecível Seminário do MAB, em Congonhas, evento no qual a destruição da natureza na cidade dos Profetas foi exposta e debatida de forma clara e, infelizmente, assustadora.Apesar da realidade triste o trabalho de vocês foi exemplar.E o que isto tem a ver com a viagem?Tudo.Tenho certeza de que o Bangalô de Flores passará levando o bem e perfumando a Bolívia e o Peru, como o fez em Congonhas.Você são gente de primeiríssima e merecem uma viagem à altura dos seus sonhos e ideiais elevados.
Deus lhes dê guia e proteção.
Grande abraço!P.de Souza.Fotógrafo.

Titina Cardoso + 7 de janeiro de 2010 10:59 (#) :

Queria ir com vocês.

Tio Reinaldo + 9 de janeiro de 2010 14:50 (#) :

Elder, espero que esta seja a primeira de muitas aventuras na sua vida, aproveite cada minuto dessa experiência.
Não se esqueça da nossa aventura????

baiana + 9 de janeiro de 2010 15:14 (#) :

mando meu suporte, meu carinho e minha paixao por vcs... =****

beijao

Vivian Fernandes + 9 de janeiro de 2010 18:08 (#) :

Aaahhh!
Que delícia essa viagem!
Fico torcendo daqui por vocês!
Elder (Delder), com certeza essa experiência irá reforçar ainda mais os seus ideais de liberdade.
Lívia (Cachaça), a cada dia você me surpreende mais com sua coragem.
Qualquer coisa pode gritar que to aqui pra dar uma força! Nem que seja com boas vibrações. ;)
Beijos e se cuidem!
Vivi

Postar um comentário

 
Creative Commons 2009-2010 Bangalô de Flores. Powered by Blogger Criado por Deluxe Templates. Adaptado por Lílian Alcântara e Lívia Alcântara