24 de set de 2009

Atingidos por grandes projetos

Atingidos pela monocultura da cana, atingidos pelo eucalipto. Atingidos por barragens, pela mineração, pela transposição do rio São Francisco e pelos desastres ambientais de forma geral. Atingidos pelo desemprego, pelo alto preço da luz. Atingidos pelas ações de grandes empresas como a VALE, COPASA e CEMIG. Todos esses afetados pelo capital irão se encontrar este fim de semana (dias 26 e 27 de setembro) no "Seminário dos Atingidos Gerais" em Congonhas - MG.

O Seminário (confira a programação aqui) está sendo organizado pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e tem como objetivo discutir estratégias frente ao ataque das grandes empresas contra o meio ambiente e contra ao povo e criar uma identidade comum para estes atingidos, como explica Soniamara Maranho, coordenação estadual da Via Campesina e direção nacional do MAB em entrevista ao Bangalô de Flores:

Congonhas, a cidade que sediará o encontro, está sendo atingida pela expansão da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) que aumentará a produção de aço e construirá uma usina pelotizadora e uma fábrica de clínquer. O tema dos atingidos pela mineração foi discutido pelo MAB no mês passado. O movimento denunciou os impactos negativos da expansão, como a extinção do povoado Santa Quitéria e a desapropriação de 4 mil hectares de terras. O portal Vilma Fazitto Comunicação e Consultoria Ltda, em uma matéria com o título "CSN assusta Congonhas", levantou outros prejuízo causados pela expansão da CSN: possibilidade de que a população da cidade triplique e conseqüentemente inexistência de serviços de saúde, educação e transporte para atender estas pessoas. Além disto, a especulação imobiliária na cidade já alcança níveis altíssimos.

O curioso desta obra e de outras (como a construção da barragem em Laranjal - MG já comentada pelo Bangalo de Flores)  é que elas são obras financiadas com o dinheiro do povo através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), como lamenta Soniamara:

Congonhas é apenas um dos lugares onde a população está sendo atingida pelas atividades das grandes empresas. Próximo a Congonhas, o município de Jeceaba sofre com a implantação da siderurgica Valorec (francesa) e da Sumitomo (japonesa).

No "Seminário dos Atingidos Gerais" será exibido o documentário "O Canto de Acauã" que aborda as cosequências da construção da barragem de Acauã na Paraíba e denuncia o que a população sofreu. Veja o vídeo abaixo:


Esta semana os atingidos por barragens ganharam visibilidade com o discurso do presidente Lula durante o lançamento do "Plano Safra para a Agricultura Familiar" em que ele apontou que o único movimento que ele ainda tem dívidas no país é o MAB "certamente nós temos dívida com eles, porque durante muito tempo se construiu hidrelétrica, se prometia dar casa, dar isso, e não vieram as casas e não vieram as terras. E eu não quero deixar o governo sem pagar essa dívida histórica que o Estado tem com os companheiros do MAB."

0 comentários until now.

Postar um comentário

 
Creative Commons 2009-2010 Bangalô de Flores. Powered by Blogger Criado por Deluxe Templates. Adaptado por Lílian Alcântara e Lívia Alcântara